Belezas Naturais

Argélia, país de contrastes, situada no Norte da África, se estende por uma superfície de 2.381.741 km2. As fronteiras longas de 6000 km separam-na do Marrocos, da Tunísia, da Mauritânia, do Sahara Ocidental, do Niger, do Mali e da Líbia. Ao Norte, o Mediterrâneo banha 1200km de costa, ao sul o deserto imutável se estende por quase dois milhões de quilômetros quadrados.

Alger  béjaia 12  Oran 22

Seu relevo é composto de quatro conjuntos: os canais costeiros do Tell, uma série de planaltos e altas planícies, uma faixa de extensão montanhosa meridional, prolongação do Alto Atlas marroquino, a região do Sahara com suas massivas serras.

Sahara   hogar  Photo Taghit
A Argélia é beneficiada por um clima Mediterrâneo: O sol brilha o ano todo e os invernos são amenos.

Os trunfos naturais da Argélia autorisam a prática de diversas atividades turísticas relacionadas aos:

  • Turismo aéreo e montanhismo
  • Turimos de termal
  • Turismo cultural e esportivo
  • Turismo Sahariano
  • Caça e pesca

Estas atividades turísticas múltiplas podem ser praticadas durante o ano todo nos pólos turísticos onde o exótico é rival apenas da beleza das regiões:

  • O Litoral
  • Os montes de Aurès
  • A região de Kabylie
  • O vale de Oued M’zab
  • O Hoggar e o Tassili
  • O Touat e o Gourara
  • O Oued Souf

hoggar 3  neige   timimoun 4

A Argélia dispõe igualmente pelo território nacional 202 fontes termais reputadas para as propriedades terapêuticas inegáveis.

A história, a geografia, o clima, potências naturais, a legendária tradição de hospitalidade e de seus habitantes, a política turística ameaçadas pelos últimos anos, tudo contribui a fazer da Argélia um destino ideal do turismo mundial.

Mar; montanha; deserto: a variedade das paisagens, a diversidade da originalidade de lugares incomparáveis faz com que a Argélia não seja somente um destino turístico apreciado, mas também uma terra onde a arte e a história transparecem indefinidamente.

A África, o Oriente, o Mediterrâneo se fusam para formar um só fermento. Eles testemunham incontáveis construções civis e militares, os monumentos relgiosos e funerários, os palácios e mansões, os edifícios públicos e privados, etc. E, sem esquecer as inestimáveis coleções de objetos de todas as espécies herdadas de diversas civilizações que marcaram a história da Argélia, e cujos subsolos ainda não foram capazes de entregar todos os seus segredos.

O visitante sensato não irá menos ao encontro das mensagens “vivas” que veiculam ou abrigam imutáveis, os casbahs milenários da Argélia, de Constantine e suas legendárias casas em terraços, a atraente Kabylie e seus indomáveis lugarejos de Creta sobre a tranqüilidade daqueles que cuidam da majestosa Djurdjura, os Aurès históricos e suas fantásticas florestas de cedros e de Aleppo, o Sahara fascinante e único, o Hoggar desconhecido e místico, o Tassil pré-histórico.

E isso não é tudo: Os contrastes geográficos, até mesmo o clima desse país são tão impressionantes que tem épocas que uns podem se banhar em Andalouses (Ain-el-Turk, Oran) ou em Sidi-Fredj (oeste de Argel), enquantos outros esquiam em Chréa (perto de Blida) ou em Tikjda (kabylie). Simultaneamente, podemos dizer, a imensa grandeza do Grande Sul esmaltada de oásis à beleza incomparável formam um quadro turístico excepcional de tipo Sahara. Lugares naturais com beleza deslumbrante se misturam com um espaço enigmático onde reina a calma.

Os lugares visitados são ricos de história e de glórias ancestrais… Tlemcen e seu prestigioso passado de capital abdelwadite ; Constantine, a antiga Cirta púnica e romana; Annaba, a coquette; Médéa altiva; Aflou e seus famosos tapetes Djebel Amour; Bejaia, a Hammadite. Essas cidades entre tantas outras apresentam tecidos urbanos tão antigos como da Argel, de Oran ou de Cherchell. Eles não refeltem neles mesmo o gênio artístico daqueles que viveram o passado? Um país é expresso pela sua arte. Formas, cores, materiais traduzem, sob o céu argelino, a verdadeira face de um povo rico de tradições artesanais e artísticas.

Basta dizer que é uma geografia abençoada pela natureza, o desejo de sedução, que permitiu, aqui, de fornecer a arte do artesanato, um material de inspiração cuja riqueza é inesgotável. Nenhum outro recurso antropológico ou simplesmente etnográfico pode ir ao reencontro da civilização mãe do Maghreb tão bem quanto ela, miraculosamente conservada do artesanato rural. Particularmente, a cerâmica. Neste ramo, o repertório singularmente abundante em símbolos obedece às rigorosas leis, de fonte multimilenar. Esta observação é igualmente plausível para as outras artes folclóricas. Foi uma olaria das M’sirda (Nedroma), das Maâtkas (Kabylie) ou de Djemila (Sétif), uma jóia dos Beni-Yenni (Kabylie) ou dos Aurès, um prato em cobre cinzelado de Constantine ou Ghardaia, um tapete de Djebel Amour ou dos Nementchas, este trabalho inspirado pela poesia nacional se curva nas regras de cultura e de costumes ancestrais.

Cada objeto apresenta uma beleza tanto plástica como mística, que reflete, em sua variedade e suas riquezas, a Argélia como um todo, essa do trabalho e da criatividade.

Em geral, não é só uma cidade ou uma aldeia que possa se orgulhar de ter um passado histórico, um patrimônio arqueológico, um balneário, ou termas muito conhecidas. Seja sob o céu limpo de Timimoun – Oasis Vermelho – com suas palmeiras exuberantes e seus tesouros; de Gardaia com sua pentápole de arquitetura original, de Tipaza, antiga cidade romana de comércio, testemunha da preocupação religiosa da época com sua multidão de cemitérios e basílicas; de Bejaia (antiga Naciria) e de Skikda, pólos petrolíferos importantes; de Oran, com a mesquita de Pacha, o marabout (personagem religioso respeitado) Sidi-Mohamed El-Houari, o museu Demaeght; de El-kala e de seu parque nacional: de Batna e de impressionantes desfiladeiros de Rhoufi; do antigo Timgad; de Lambaesis do qual emerge uma forte impressão romana – foi o campo da terceira legião de Augusto – que é sempre, invariavelmente, um único destino que nos damos conta: a Argélia em toda a sua autenticidade, serena e borbulhando de uma só vez.

Acontece